Núcleo de saúde do PDT de MS reforça campanha pela vacinação já

Todos juntos pela vida!

O Brasil do verde amarelo, do trabalhismo, faz hoje (24/03), uma grande mobilização, marcando esta data como o Dia Nacional de Lutas pelo Fora Bolsonaro, em Defesa da Vida, pela vacinação da Covid-19 e pelo auxílio emergencial de R$ 600,00.

Nós do PDT de Mato Grosso do Sul não poderíamos ficar fora desse dia histórico e reforçamos que não podemos aceitar que os serviços de saúde estão em colapso, por falta de planejamento estratégico, por conta do negacionismo de um Governo despreparado e que não aceita o tamanho da crise sanitária e econômica que estamos vivenciando.

De acordo com Cléo Gomes, coordenadora do núcleo de saúde do PDT/MS, não há mais leitos, em muitos locais faltam medicações do kit de intubação (sedativos e relaxante muscular). “Estas medicações são de suma importância para a manutenção do paciente sedado durante a ventilação mecânica. Alguns estados estão sob risco de falta de oxigênio. Por esses fatores e pela alta mortalidade (quase 300 mil mortos) da população brasileira o Núcleo de saúde do PDT/MS defende com urgência um lockdown nacional e a vacinação em massa”, explica.

Cléo reforça ainda que a vacina é o único tratamento eficaz existente contra o coronavírus e o lockdown é a única forma de coibir a transmissão da doença e o surgimento de novas cepas. “Essas cepas podem ser mais virulentas, como a de Manaus ou pior, e a doença se apresentar de forma mais grave. Outra questão é que elas podem ser resistentes as vacinas já existentes. Além disso, o Núcleo de Saúde do PDT exige que o auxílio emergencial volte a ser de R$600,00. É dever do Estado prover medidas de proteção social ao povo brasileiro. Não existe parar tudo no país sem seguridade social”, conclui.

Desde o início das mobilizações pela vacinação e contra o negacionismo o PDT tem deixado claro que seu posicionamento é pela vida e que para que a mesma seja preservada é necessário tratar tanto o problema do crescimento da curva de contaminação, quanto dar garantias de sobrevivência mínima para quem precisa.

Ascom PDT/MS