O Partido Democrático Trabalhista surgiu em Mato Grosso do Sul em 1980, com o fim do bipartidarismo no país. O partido nasceu no Estado para dar sustentação à candidatura de Leonel Brizola ao governo do Rio de Janeiro, uma vez que era necessário lançar candidato em pelo menos nove estados da federação.

Seu primeiro presidente em MS foi o médico da Aeronáutica, Wilson Fadul, que voltou ao estado com a incumbência de organizar o PDT. Sua meta era implantar um número mínimo de diretórios, que deveria atingir pelo menos um terço dos municípios.

Médico da Aeronáutica, Wilson Fadul, elegeu-se vereador de Campo Grande pelo PTB em 1950, tonando-se presidente da Câmara Municipal no ano seguinte. Foi prefeito da cidade em 1953 e, em outubro do ano seguinte, foi eleito deputado federal. Foi reeleito em 1958 e dois anos depois concorreu ao governo de Mato Grosso, mas não foi vitorioso.

Após a renúncia de Jânio Quadros, integrou a comissão que elaborou a emenda constitucional do parlamentarismo, para permitir a posse de Jango.

Eleito para o terceiro mandato em 1962, Fadul licenciou-se da Câmara para assumir o Ministério da Saúde, em junho de 1963. No ano seguinte ele foi demitido e reassumiu sua cadeira na Câmara dos Deputados, mas teve seu mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos pelo Regime Militar.

Com o fim do bipartidarismo, filiou-se ao PDT e fundou o partido em Mato Grosso do Sul. Depois da eleição de Leonel Brizola em 1982, retornou ao Rio de Janeiro para assumir a presidência do Banerj.

Junto com Wilson Fadul vários companheiros, entre eles, Calil Domingos (primeiro presidente do Diretório de Campo Grande), Alarico Reis D’Ávila, Dr. Loester, Wilson Grunewaldt, Carlito Loschi, Atílio Torraca Filho e Willian Maksoud.

No interior somaram os companheiros Harrison Figueiredo, Ramão Perez, Gitana e Cícero Kurtz, Olívio Finck e José Marques Luiz, de Dourados; Marcus Guimarães, de Aquidauana; Moacir Belmonte e Clementino Albuquerque, de Ponta Porã; Jorge Abrão, de Porto Murtinho; Arami Dornelles, de Bandeirantes; Jonas de Souza Ribeiro e Francisco Pecy de Barros Por Deus, de Corumbá; Alfredo Radiche, de Ladário; Altino de Oliveira e Noé da Silva Peixoto, de Sidrolândia; Agápito de Paula Boeira, de Antônio João; Euclides Ivani Felini, de Maracajú; Flávio Fortes e Orlando Palaoro, de Amambai; Atanásio de Melo e Tupi de Almeida Mello, de Bela Vista; e tantos outros trabalhistas comprometidos com a democracia em MS.

Em 1981, o PDT já estava presente em 20 municípios: Amambai, Anastácio, Antônio João Aquidauana, Aral Moreira, Bandeirantes, Bela Vista, Bonito, Campo Grande, Corumbá, Douradina, Dourados, Itaporã, Ladário, Nioaque, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rochedo, Sidrolândia.

A partir daí, o PDT foi se estruturando em todos os municípios. Além de Wilson Fadul, foram presidentes do Diretório Estadual: Alarico Reis D’Ávila, Harrinson Figueiredo, Franklin Rodrigues Masruha, João Leite Schimidt, Dagoberto Nogueira e atualmente, de novo, João Leite Schimidt.

Já na primeira eleição de Mato Grosso do Sul, em 1982, após a criação do Estado, o PDT lançou chapa completa, candidatos de governador a vereador, época do voto vinculado.

Wilson Fadul foi candidato a governador e Wilson Grunewaldt, a senador. Para Câmara Federal, Osvaldino Monteiro (Corumbá), Harrison Figueiredo (Dourados), Marcus Vinicius do Nascimento e Joedimo de Castro Peixoto (Campo Grande). Para a Assembleia Legislativa, os candidatos Francisco Pecy de Barros por Deus (Corumbá), Alarico Reis D’Ávila, José Rocha e Jonas da Luz (Campo Grande), José Marques Luiz (Dourados), Flávio Fortes (Amambai).

Ainda em 1982, o PDT lançou candidatos às prefeituras e câmaras de Rochedo, Itaporã, Dourados, Douradina, Bandeirantes, Aquidauana, Anastácio e Jaraguari. Em Campo Grande, Bela Vista, Porto Murtinho, Ponta Porã, Ladário, Corumbá, Antônio João e Amambai, municípios considerados na área de segurança nacional, só concorreram candidatos a vereadores. Na Capital, Calil Domingos e Dr. Loester disputaram as vagas para a Câmara Municipal.

Apesar do esforço do partido em sua primeira eleição foi possível ser vitorioso apenas em Corumbá com Jonas de Souza Ribeiro, o primeiro vereador do PDT em Mato Grosso do Sul.